JavaScript must be enabled in order for you to see "WP Copy Data Protect" effect. However, it seems JavaScript is either disabled or not supported by your browser. To see full result of "WP Copy Data Protector", enable JavaScript by changing your browser options, then try again.
quinta-feira, março 28, 2019
Início Brasil Ex-governador Fernando Pimentel se torna réu em denúncia sobre tráfico de influência

Ex-governador Fernando Pimentel se torna réu em denúncia sobre tráfico de influência

(Mariana Durães/Hoje em Dia)

O ex-governador de Minas Fernando Pimentel (PT) se tornou réu por tráfico de influência e lavagem de dinheiro. A juíza Luzia Divina de Paula Peixôto, da 32ª Zona Eleitoral de Belo Horizonte, acatou a denúncia do Ministério Público Eleitoral (MPE) e a decisão foi publicada na quarta-feira (27) no Diário de Justiça do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG).

Continua depois da publicidade

Além de Pimentel, outras quatro pessoas são acusadas de estarem envolvidas no esquema. Entre elas está Benedito Rodrigues de Oliveira Neto, o Bené, investigado por ser o operador de Pimentel na campanha eleitoral em 2014.

O ex-governador é investigado supostamente por ter se aproveitado do cargo de ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio para realizar troca de influências com empresários e que as vantagens obtidas tenham sido usadas para financiar campanha para o governo de Minas, em 2014. A suspeita é que Pimentel tenha facilitado uma outorga para construção de um aeroporto na Região Metropolitana de São Paulo.

Segundo decisão da juíza, ela acata a denúncia de “solicitar, exigir, cobrar ou obter, para si ou para outrem, vantagem ou promessa de vantagem, a pretexto de influir em ato praticado por funcionário público no exercício da função”, informa.

O advogado de Pimentel, Eugenio Pacelli, afirma que a defesa só irá se manifestar nos processos.

Na decisão publicada nesta quarta, consta a defesa do ex-governador, sustentando “atipicidade da conduta relativa ao tráfico de influência, alegando ‘problema lógico-cronológico’ na ocorrência dos fatos”. Segundo a defesa, não teria formado a necessária vinculação causal para configuração do referido delito. Os advogados atentam ainda para divergências entre as declarações prestadas pelos outros denunciados.

(Hoje Em Dia)

VER PRIMEIRO

Receba as notícias do Site Por Dentro da Notícia em primeira mão. Clique em curtir no endereço baixo https://www.facebook.com/pordentrodanoticiaoficial/?ref=bookmarks .

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here